Entre, aproveite, aqui tem poesia e algo mais...
"o ofício dos artistas é elementar para manter a saúde psíquica sem entorpecer-se"
Textos
Por onde andam seus olhos que a gente não vê?
Por onde anda esse olhar?
Mostra-me o que vês!

Vejo a íris de um magnífico poeta brilhando no meu anoitecer.
Vejo a poesia chegando qual estrela alta no céu.
Vejo poetisa inspirada destilando versos qual perfume de rosas...
Ora para distrair, ora para espalhar sentimentos guardados
e até mesmo para destilar seu veneno.

Veneno que, por vezes, contamina e pode matar.
Veneno que se espalha na veia e sai pelos poros, embaça a visão.
Veneno que ora atinge quem o recebe,
Ora envenena quem o produziu,
que tira do poeta o brilho e o perfume.

Esse veneno tira-me do tédio, debruça sobre meu ser,
enche-me de vontades antes tão bem guardadas,
traz de volta os vocábulos e versos perdidos.

Palavras... meras palavras.
O mais letal dos venenos que pode existir...

É isso o que vejo por onde ando,
por onde passeiam os meus olhos,
na esperança de que a poesia
transforme todo o veneno
num vital elixir, unguento da alma.

Esperança
de um novo porvir!
Jefferson Lima e Marcela Torres
Enviado por Jefferson Lima em 28/01/2013
Alterado em 28/02/2021
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras