Se for poesia...
venha, pois pior que estar só é estar ausente de ti.
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


 
É domingo...
 
E Deus lá do céu nos vê...
 
Cada qual com suas lutas,
cada qual com suas dúvidas
 
procurando respostas,
correndo de um lado para outro
 pretensiosos em nossas certezas.
 
Até quando?
 
Nesse mundo louco
aonde todos adoecem,
sofrem perdas ou desilusões,
 
as expectativas são frustradas,
os sonhos não acontecem
e a honestidade é questionada.
 
Mas...
 
Há um natal...
“Um menino vos nasceu...”
 
Há uma paixão...
“Ele deu o Seu Filho para que todo o que Nele crê não se perca pela vida...”
 
Há um alento...
“Entregue a Ele sua ansiedade, pois Ele tem cuidado de vós...”
 
Há uma declaração...
“Eu vim para que tenham vida em abundância...”
 
Há uma ressurreição...
“Eu venci a morte...”
 
Há uma oração...
“Não os tires do mundo, mas os livres do mal...”
 
Há uma promessa...
“Ao que vencer...”
 
Há uma certeza...
“Estarás comigo no paraíso...”
 
Seja numa manhã fria e sem esperança,
ou na madrugada de um sábado irresponsável...
 
Quem sabe numa noite de insônia e preocupações
ou numa tarde besta e melancólica de um domingo qualquer...

No soul do Raiz Coral ou no jazz de David Sanborn,
estas palavras se renovam.
 
E eu acredito...
 
Que o suicida enfim encontrará descanso para a sua alma aflita,
que o depressivo descobrirá a beleza de estar vivo,
que o excluído será acolhido sem preconceitos,
que as crianças voltarão a sonhar e brincar,
que os poetas serão mais que uns bêbados
e os moribundos crerão
que tudo passa – toda dor é por enquanto!
 
Ah, essas tardes de domingo...

Que trazem em sua melancolia
o perfume bom da semana que começa
 e uma certeza:
 
Em todo fim,
um recomeço.



(Imagem: Arquivo pessoal do autor)
Jefferson Lima
Enviado por Jefferson Lima em 13/01/2019
Alterado em 07/04/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras